Já se vão quase 4 anos usando Ubuntu como meu principal sistema operacional. Quando comecei a Doggus em 2017, eu comprei um notebook DELL que já tinha a opção de vir com Ubuntu de fábrica.

Comprei esse notebook (e ainda estou com ele, parabéns DELL) e entrei 100% no mundo do Linux.

Sempre tive muitos problemas com a plataforma Unix, não com Ubuntu. A maior parte das ferramentas que os designers usam são da suíte Adobe e não possuem nenhuma compatibilidade. Até o Adobe XD que foi lançado há pouco tempo não possui nenhum suporte para Unix.

Por que eu fiquei no Ubuntu

A melhor parte do ambiente Ubuntu para mim foi a produtividade. Acessar o sistema em segundos e já começar a trabalhar, excelente. Diferentemente do Windows, o Ubuntu não “envelhece”, ou seja, independentemente da quantidade de tempo que você usa o sistema, ele não vai ficar lento.

As principais ferramentas de desenvolvimento que eu uso (SublimeText, Docker, GitKraken, Inkscape, GIMP, navegadores, entre outros) funcionam perfeitamente bem no Ubuntu.

Fico muito grato com a comunidade Ubuntu por implementar todas os drivers e ferramentas necessárias para que a plataforma Ubuntu seja muito usável e produtiva.

O que me incomodou

O meu notebook possui duas placas de vídeo, a “onboard” da Intel e uma placa NVIDIA de 4GB “dedicada”. As aspas são porque estou descrevendo um notebook em que tudo é embarcado.

A compatibilidade do Ubuntu com essa configuração sempre foi muito ruim. Se eu precisava de um grande processamento de vídeo, ficava completamente na mão. Ao tentar resolver esse problema, acabei quebrando o sistema e tive que instalar novamente.

Recentemente, atualizei para a versão 20.04 (Focal Fossa) e foi tudo por água abaixo. Não consegui mais utilizar minha impressora HP, nem para impressão e nem para scanner, o desempenho gráfico caiu mais ainda e o desempenho começou a ficar ruim.

No início, pensei que novos drivers seriam disponibilizados com o tempo e optei por esperar alguns meses. Infelizmente, nada mudou mesmo com as atualizações.

O primeiro teste do Linux Mint

Comecei a buscar alternativas ao Ubuntu dentro do universo Unix. Sempre soube que existiam diversas distribuições diferentes, mas nunca foi conhecer as outras.

Como acompanho o canal do Diolinux no youtube, tive um pouco mais de contato com o Linux Mint e decidi baixar uma ISO para testar pelo pendrive. Após me adaptar com a interface gráfica um pouco diferente do Ubuntu, resolvi fazer alguns testes. Meu primeiro teste: fazer uma impressão, e funcionou perfeitamente sem baixar drivers. Ponto positivo!

Após, resolvi verificar o desempenho do SO em uma condição mais próxima do meu dia-a-dia. Abri vários navegadores, rodei alguns projetos de sites e deixei vídeos do youtube e netflix rodando em segundo plano enquanto editava imagens no Inkscape. Mais um ponto positivo.

Nada é perfeito, mas a vida é assim

Por ora, estou muito satisfeito com o desempenho em geral do sistema Mint. Interessante notar que ambos Ubuntu e Mint foram criados sobre a mesma base, o Debian, mas ainda assim atingem resultados bem diferentes.

Se até o final do mês o resultado do Linux Mint nesta máquina for satisfatório, nós vamos migrar os outros computadores da Doggus para o Mint também.

Comentários

Vamos trabalhar juntos




Do NOT follow this link or you will be banned from the site!